mulheres-e-bolsa-famc3adlia-4-christian-perona

O João que o Brasil merece!

Fiz um desafio na página do Facebook convidando o leitor a criar uma história junto comigo, sendo que cada um deveria escrever um trecho.

Confira o resultado final abaixo:

historia

FACEBOOK | O JOÃO QUE O BRASIL MERECE!


[ Uma linda história contada pelos leitores da página no Facebook através de um post/desafio feito em 27.04. Delicie-se! ]

ERA UMA VEZ, um senhor chamado João…
Ele acordava todos os dias, às 4h30 da manhã, para, com muita dificuldade, buscar o sustento de sua esposa e três filhos.

Enquanto isso, sua esposa, senhora Joaquina, acordava os dois filhos mais velhos para irem à escola, para lutarem por um futuro diferente pra eles. Mesmo com muita dificuldade ele sabia que sua família o amava muito e estavam sempre à sua espera.

Embora ainda jovem em idade, seu corpo já estava sofrido e sua mente experiente com as mazelas da vida. Mas sua alma, ah… essa era a alma de uma pessoa maravilhosa, que com todos seus problemas adorava ajudar a todos e sempre com um sorriso no rosto.

Quando um dia saindo muito cedo para o trabalho se depara com uma criança sozinha e chorando muito no meio da avenida, onde ele esperaria pelo ônibus.

Com a notícia absurda de que todos os direitos que já não lhe eram grande coisa tinham sido subtraídos por um nefasto grupo de malfeitores, dispostos a vender a alma se a tivessem, João olhou para suas mãos calejadas, ajeitou seu uniforme de trabalhador da construção civil e entrou em um ônibus lotado.

No meio daquela multidão de desvalidos, enxergou um rosto que se destacava pela serenidade. Ficou curioso e ao mesmo tempo feliz, porque mesmo em meio a uma situação difícil, ainda existem pessoas que conseguem se manter serenas.

Pensou em toda a dificuldade que passara com a família, as lutas e dissabores, porém alegrou-se em perceber que mesmo assim nunca lhe faltara o pão e o labor para sustentar a casa.

Apesar das dificuldades nunca perdeu a fé. Agradecia toda e qualquer adversidade em sua vida, pois assim se tornava mais forte para enfrentar as dificuldades do dia a dia e mesmo assim sorrir para vida.

Apesar de ser agradecido e gostar da empresa onde trabalha ele foi demitido. Redução de custo, dizem. Com a crise fizeram sorteio e ele foi demitido. Seu mundo parou. Como poderia ter tamanha falta de sorte justo quando mais precisava.

Depois de um longo dia de trabalho, João adentrou-se no ônibus de volta para casa, depois de um longo dia árduo e cansativo, quando se depara no mesmo lugar a criança,
com muito frio, e fome. João teve uma ideia.

Mesmo desempregado, ele pegou a criança e a levou para casa. Pois pra ele, não iria fazer tanta diferença o gasto a mais que teria com aquela criança, mas para ela seria a salvação da sua vida.

No meio do caminho, parou para pegar flores. Sim, apesar dá tristeza pelo desemprego, ia dar a notícia com flores para provar aos filhos que a vida sempre irá nos sorrir de outras formas. Seguiu junto com a criança e as flores.

mulheres-e-bolsa-famc3adlia-4-christian-perona

Quando chegou em casa sua esposa joaquina já tinha colocado a mesa para o jantar aquelas lindas flores ajudaram enfeitar o ambiente que seria acolhedor para aquela
pequena criança na mesa posta por dona Joaquina e seus filhos que aguardavam o retorno do pai.

Assim o filho pergunta para o pai:
– Com foi seu dia? – mas inquieto por ver aquela agradável criança, aguardando ansioso a resposta do pai.

O pai engasgado responde para o seu filho:
– Ótimo! Estamos juntos e nos amamos. Vamos comer, amanhã o dia será maravilhoso.

Antes de deitar-se dá bênçãos e beijos aos filhos. No entanto, no leito desabafa com a esposa.
Ela o sufoca num forte abraço e diz-lhe carinhosamente ao ouvido:
– Amanhã será um NOVO dia! Lutemos. Somos uma Família.

Essas palavras foram orações ao coração do JOÃO lutador.

No dia seguinte, João tomou seu café da manhã e seguiu para o centro da cidade a procura de um trabalho. Não era exigente, sabia que com a crise que assolava o país achar um trabalho bem remunerado e na sua idade, não seria fácil. Mas ele era um bom profissional, sempre exerceu suas funções com dedicação e responsabilidade. Logo, conseguiria um emprego.

Foi quando ele se deparou com um envelope caído no chão. João pegou o envelope e quando o abriu se surpreendeu. Dentro do envelope havia muito dinheiro.

João olhando para aquele envelope cheio de dinheiro teve a certeza que o cuidado de Deus para com sua vida era imensurável. E naquele momento se deu conta que estava
diante de uma agência bancária.

João, portanto, resolveu entregar o envelope para o gerente e disse:
– Seu Doutor, achei esse envelope no chão, te devolvo pois a mim não pertence não.

João sempre foi um homem honesto. Sabia que aquele dinheiro seria de grande ajuda, mas não achou certo pegar o que não lhe pertence.

Comovido com a honestidade do Senhor João, o gerente perguntou:
– Como o senhor se chama?

– Me chamo João, Doutor!

Pois bem, seu João… nós vivemos em um país desacreditado, onde reina a desonestidade e a corrupção. Me surpreende e me deixa muito feliz em saber que ainda existam pessoas honestas como o senhor.

Diante disso eu lhe digo:
– Neste envelope só tem dinheiro, não se tem como achar o dono. Então ficarei com o envelope por alguns dias. Se ninguém o reclamar, ele pertencera ao Senhor. Por favor seu João volte daqui 3 dias.

Então João saiu da agência, feliz por feito a coisa certa, e com alguma esperança.

======================

Autores:
Fernando Guifer, Gabi Avancini, Vivian Volpi Costa, Renata De Conti, Luciana De Andrade Ríspoli, Fernanda Ferreira, Beth Vasconcelos, Paula Trindade, Fernanda Amaral, Helga Balagué, Isa Corrêa, Maria Lúcia Silva, Fernanda Gabriela Winder Martins, Deusiane Guedes, Vagno Correa, Ida Lucia Gomez, Cleo Lemos, Carla Andressa Ferreira, Jô Toscano e Sabrina Cresson.

Foto ilustrativa: Christian Perona

=================================================

historia1

INSTAGRAM | O TRECHO DA VIDA DE UM JOÃO…

[ História contada pelos seguidores no Instagram através de um post/desafio feito em 27.04. ]

ERA UMA VEZ, um senhor chamado João…

Ele acordava todos os dias, às 4h30 da manhã, para, com muita dificuldade, buscar o sustento de sua esposa e três filhos.
Não importava como havia sido sua noite ou o dia anterior, sempre estava disposto a recomeçar para que sua esposa e filhos pudessem usufruir sempre do melhor. Mesmo que muitas vezes as coisas não estavam indo como havia planejado.

João era muito crítico e tinha a exata noção que viviam em um país onde a desigualdade imperava. Ela era muito honesto e sempre dizia a seus filhos que assim deveriam levar suas vidas, com retidão, mas sem ilusões.
Mesmo com todas as dificuldades, esposa doente, no parto do último filho teve complicações e ficou paralítica, e três filhos para sustentar, ele seguia a vida feliz, sem se corromper e sem se abater.

Seus filhos vendo a situação sempre ajudaram a mãe. o mais velho era o mais responsável e estudioso, o mais novo era o mais problemático, pois dava trabalho a todos por querer atenção, não queria estudar, só queria saber de festa. O caçula era o mais amoroso e dramático ao mesmo tempo, ajudava nos afazeres de casa.

Com todos os desafios, João nunca desanimou, sempre teve uma palavra de ânimo e sorriso no rosto, apesar de seus obstáculos, sua integridade e carisma sempre foi admirado por todos a sua volta, e era um prazer ter um momento com ele, pois sempre tinha uma palavra de otimismo e fé, pois era a Fé que o mantinha vivo e confiante de que se

mulheres-e-bolsa-famc3adlia-4-christian-perona

Deus permitiu que ele passasse por todos estes desafios, claro, sabia que ele ia conseguir.
Com isso tornou-se um exemplo, não digno de pena, e sim de orgulho para seus amigos e familiares, alguém que ao invés de sentar e reclamar, olha para a circunstância e pensa: “o que farei com isso? O meu melhor!” E foi assim, que numa tarde chuvosa sua fé foi testada.

O telefone tocou e enquanto ele ouvia a grave notícia, ele observava a chuva que caía, a palidez tomou conta de seu rosto, logo grossas lágrimas inundaram sua face misturando-se a imagem da chuva lá fora.
Meu Deus. Que notícia triste seria essa que abalou tanto João?

Ele não acreditou no que ouviu. Silêncio. Vultos. Mesmo com os olhos saltados, sua visão ficou embaçada e não ouvia mais nenhum ruído. Ficou em choque. Mas como? Por quê? O que fazer? Será mesmo verdade?
O filho do meio, indo em mais umas de suas noitadas, acabou bebendo além da conta, foi ao volante e tomou a estrada embriagado…

======================

AUTORES: fernandoguifer, @willjoaod, @queridov, @monicafpsantos, @nathmrod, @helidebraga, @laraegois, @denisylu, @sr200562, @palomaa_braga e @anaju_nana

FOTO: Christian Perona

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *